Um bom encontro

Foto: Beto Teixeira
Lucia e Regina, encontro dos grupos maio/2006. Um lugar para formar. Minha primeira aparição como produtora. Hibridações em produção. Bom encontro, bom encontro, bom encontro.

erased

Um bombom de nhá benta, disparos num céu azul e frio.
Amanhece e anoitece vazio
Empilho frases sem sentido, embalo lembranças
E vejo com a clareza cortante do gelo: i’m erased

Filhote de girafa

Presente da Regina Favre, hoje. Por que a girafa? Bom, eu sou comprida. E também posso ser tão desconjuntada quanto um filhotinho de girafa – principalmente quando estou aprendendo novos comportamentos.
E este é o caso no momento. Estou reaprendendo a ser trabalhadora, a ser jornalista, deixando de ser adolescente, num certo sentido. Vivo a tristeza e a satisfação de envelhecer e muitas contradições brotam, absolutamente desconjuntadas.
E da desconjunção girafística brotou uma mulher satisfeita, de pescoço comprido e rosto sério, atento, presente. Longa caminhada, hein, Favre?

Define: hope

início da transmissão
In: Dicionário da Filosofia, Nicola Abagnano, Ed. Martins Fontes
(in. Hope; fr. Espérance; al. Hoffnung; it. Speranza) 1. uma das emoções fundamentais (v. Emoção) 2. Uma das virtudes teologais (v. Virtude)
Uma das minhas bisavós atendia por Esperança. Sou bisneta desta emoção?
Infelizmente, não é possível sintetizar aqui, a definição de emoção do mesmo dicionário… são 14 páginas de considerações que atravessam a história da Filosofia. Fica a definição de Keleman, a que mais uso e estudo. “Emoção é um programa inato que dispara ações”. Há cinco básicas e muitas outras, mas só lembro de três agora: raiva, alegria, tristeza.
Se a esperança é uma emoção, ela dispara uma ação. Qual será? (reminder: item para pesquisa).
Resultado da pesquisa – uma música: We’re all in the dance, Feist

fim da transmissão

Message in a pixel

Boas muletas: trabalho, filosofia, arte e literatura (agora caminho com Clarice, a entrevistadeira)
O ladrilho do meu caminho: as lembranças do vivido. Isso ninguém tira de mim.
Para iluminar, elliot, vindo da minha alice queridíssima:
“…And what you do not know is the only thing you know
And what you own is what you do not own
And where you are is where you are not…”
t. s. eliot. four quartets

ps:impressionantes as afetações digitais…