Momentos mágicos


Lá da Suíça ela me escreve: neva em amden esta manhã…ontem estava primavera com arvores brotando a olhos vistos na floresta, fronteira da italia…flores penduradas nas arvores à beira do lago…nunca tive um pré-aniversário tão cheio de magicas…

Eu entrei noite adentro de novo. Dia pela noite? Sim. Mas hoje vou dia adentro, para me deitar junto com o sol. E no instante em que decido, ao som da velha Desirée, uma brisa geladinha embala o vôo da pomba branca, os primeiros raios laranjas de sol e a esperança de que tudo dê certo hoje. Sim, é um dia D… e lá vem o cheiro de pão fresquinho da padaria… Como ter certeza?

Cinzas no cinza

(post curto, em homenagem a Rosina, que foi desta para melhor anteontem)

Decidi hoje: por favor, quando eu morrer, quero ser cremada.
E, se for possível, espalhem as minhas cinzas na Avenida Paulista. Vou ficar em casa.

Chegou 2008!

Foto do Flickr do Beto
2007 acabou. 2008 veio. Sem desejos, com projetos simples e cheia de gratidão. Pela avalanche de trabalho, pelos amigos que sempre estão perto, pela vida – tão dura e rica.
Obrigada por me dar longas pernas – que adoram caminhar
Sou grata. Por ter parceiros de caminhada tão ricos: no Desabafo de Mãe, no Faça a Sua Parte, as minhas deusas maravilhosas no Deusário. Pelas oportunidades de trabalho. Pelo excesso de trabalho. Pelo coração cheio de amigos, conexões e discussões. Há tanto para acreditar. Há tanto pela frente. Inclusive durezas. E aí está a beleza…
Da gratidão nasce a compaixão, a doçura e a força que me faz suportar o cansaço e seguir escrevendo, atrás de prazos insanos, reunindo gente na Campus Party, produzindo sites. UFA!
Back to work… e são 4 da manhã.

ai que ódio!

Última semana do ano à vista. Sites para colocar no ar, negociação com clientes, notas para emitir. A rotina – avassaladora – de uma empresa de uma só mulher. Para completar, testes no novo sistema do Desabafo de Mãe, projetos mils, discussões com fornecedores. O trânsito, claro, está aquela paradeira. E, impossível esquecer, há que cuidar da organização do CampusBlog, dentro do CampusParty (de 11 a 17 de fevereiro de 2008).

De olho no futuro, digitando o presente. Sensação de lerdeza, de estar fora do tempo “correto”. Nada procede, tudo faz sentido. Inclusive as costas travadas, que fazem uma onda de dor atravessar o ombro, descer pelo braço e chegar aos dedos. Um caminho de fogo por onde caminha a preocupação, a tristeza, o que ficou entalado.

Quero minha câmera fotográfica de volta! quero usar meus anéis queridos de novo. E onde foi mesmo que foi parar o brinquinho lindo que ganhei da minha prima? Ai, como é difícil superar o roubo. Vontade de mudar, trocar de apê, criar outra vida… oras, mas não era isso que eu estava fazendo? FDP! Nessas horas entendo porque tem gente que é a favor da pena de morte.